Mercado

Áreas verdes em condomínios contribuem para preservação do cerrado

Na região metropolitana de Goiânia, incorporadora promoveu o plantio de 11 mil árvores em três projetos residenciais.

 

Algumas ações servem como exemplo para promover a preservação e recuperação desses ecossistemas; neste caso, do Cerrado. Na região metropolitana de Goiânia, a Cinq Desenvolvimento Imobiliário está promovendo, nos três condomínios horizontais que está construindo, o plantio de 11.402 espécies nativas do cerrado

Para a manutenção das áreas verdes nos empreendimentos, a empresa possui viveiros, onde são cultivadas plantas nativas do cerrado. De acordo com Lucas Santiago, engenheiro ambiental que atua nos projetos, o reflorestamento vai além da questão estética.

“Cada condomínio leva o nome de uma árvore que será plantada em maior quantidade, porém, os projetos contemplam o plantio de espécies do cerrado como o Ipê, Pequi e Farinha Seca, entre outras”, finaliza. 

Melhora do clima

Lucas destaca que o reflorestamento e manutenção dessas porções de áreas verdes nos condomínios horizontais trazem benefícios que extrapolam os muros dos empreendimentos.

“O microclima da vizinhança com a redução da temperatura e o aumento da umidade relativa do ar são diretamente impactados”, completa o engenheiro. 

Ainda segundo ele, essas alterações do microclima ocorrem porque as árvores absorvem parte dos raios solares, evitando a elevação da temperatura, captam o CO2 (gás carbônico), liberam o oxigênio em forma vapor d'água e seguram a umidade do solo, o que causa a sensação de frescor. 

 

Leia também: Ação para plantio de mudas acontece em várias regiões do País

 

Leia também: Artigo: Gerenciamento florestal – o futuro de um negócio em ascensão no Brasil

 

Fonte: Primeira Página