Inspirações

Cerca viva é opção para quem quer privacidade

Cerca viva é opção para quem quer privacidade

Em projeto, paisagista lançou mão de espécies cultivadas como maciços e cercas-vivas.

 

A escolha das espécies é um dos fatores mais importantes na composição de um projeto de paisagismo. Mais do que uma questão de gosto e beleza, é preciso levar em conta as características de insolação e ventilação do local e entender qual é o propósito daquele jardim.

Além de agradar aos olhos, as plantas podem ajudar a camuflar elementos indesejados, proporcionar cantos de sombra e oferecer mais privacidade a terrenos devassados.

“Tem condomínios que não permitem a construção de muros, então, escolha plantas que possam criar uma barreira visual para quem está na rua, mas que não atrapalhem a vista dos moradores”, explica o paisagista Roberto Riscala.

Na fachada, por exemplo, o especialista sugere o jasmim-amarelo, um arbusto vistoso e com crescimento rápido, que é conduzido como cerca-viva, formando um belo muro verde salpicado por flores que surgem durante o ano todo. Na divisão com o terreno vizinho, a dica é a também florífera tumbérgia-arbustiva, que chega a 2,50m de altura.

Já nos fundos, o fechamento fica por conta de uma composição de jabuticabeiras, barbas-de-serpente, guaimbês e russélias. “Um gramadão faz com que o terreno pareça ainda maior”, completa Roberto.

 

Leia também: Jardins Verticais: a nova tendência do paisagismo

Leia também: Plantas residenciais exigem cuidados especiais no outono

 

Fonte: Primeira Página, com informações de Casa e Jardim.

Redes Sociais