Inspirações

5 estilos de aquapaisagismo

Prática mistura peixes com troncos, pedras, plantas e substratos artificiais ou naturais.

 

O aquapaisagismo é uma arte dedicada a criar extraordinárias paisagens submersas, empregando uma série de técnicas e materiais. São utilizados troncos, pedras, plantas e substratos artificiais ou naturais. Além dos peixes, é claro!

  1. Dutch

Esse estilo vem da Holanda e o seu método consiste em agrupar as plantas de modo que elas cresçam a partir de um foco central. Sua tendência é de plantas altas no fundo e baixas na frente.

Apesar de parecer tudo simétrico, a disparidade é recomendada com grupos de plantas de tamanhos diferentes. A coloração e diversidade são pontos fortes na construção da aquapaisagem.

Os troncos e rochas não devem aparecer, portanto a beleza de cada planta deverá estar em maior destaque. Além disso, elas deverão seguir um padrão diferenciado de tamanho e cor se comparado com suas vizinhas, exceto as dos fundos e laterais, que devem permanecer o mais natural possível.

  1. Nature Aquarium

É um dos estilos mais utilizados pelos aquapaisagistas. A sua composição com rochas e troncos cria uma sensação de naturalidade juntamente com as plantas que vão crescendo no interior do aquário. Com o passar do tempo essas plantas vão ganhando mais forma e beleza, tornando-se algo incrível de se admirar.

Aqui, os peixes são um complemento devido ao comportamento, tamanho, cor e forma.

  1. Iwagumi

O objetivo principal aqui é utilizar pedras na contagem ímpar, criando uma simetria e equilíbrio em um ambiente natural. A utilização de fauna e flora é minimalista, por isso se utiliza plantas baixas.

  1. Jungle – Aquário Plantado

O principal objetivo desse estilo é criar uma “selva” dentro do aquário. Para tanto, são necessários tanques maiores. Aqui, não há restrições de quantidade de plantas aquáticas e pode-se utilizar plantas com folhas largas.

Por isso, há uma grande concorrência pela luz e espaço, sendo possível utilizar uma grande variedade de peixes.

  1. Biótopo

Esse estilo é o que mais busca a naturalidade, pois inclui fauna e flora, rochas e troncos. Faça-o como se fosse um artista, ou um fotógrafo, e corte tudo que pareça desnecessário, mantendo a beleza e a harmonia sempre. Não faça amontoados e seja o mais natural possível.

 

Leia também: Espada-de-São-Jorge: a melhor proteção astral para a sua casa

Leia também: 5 dicas para construir um jardim de inverno

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais