Mercado

Xeropaisagismo: conheça essa nova tendência no Brasil

São plantas com adaptações na estrutura, que permitem sua criação em ambientes hostis, como os desertos, por exemplo.

 

Uma alternativa bastante utilizada fora do País começa a ganhar adeptos no Brasil: é o caso do Xeropaisagismo, que consiste no cultivo de plantas que exigem pouca água e têm alta resistência a ventos fortes e doenças.

Se engana quem imagina que apenas cactos e suculentas integram o grupo das xerófitas. Na verdade, existe uma ampla variedade, mas ainda pouco cultivada por diversos motivos, como a falta de informação, pouco acesso às espécies, ou número reduzido de lojas especializadas.

Trata-se de plantas com adaptações em sua estrutura, que permitem sua criação em ambientes hostis, como desertos, locais de grande altitude, solos pedregosos, ou áreas abertas com intensos raios solares. Para se ter uma ideia da força, algumas delas chegam a viver décadas ou até centenas de anos.

Entre os exemplos, estão a Dracaena Draco, conhecida popularmente como “dragoeiro”, a Euphorbia Tirucalli também conhecida como Aveloz-Palito-de-Fogo, e a Sansevieria Trifasciata, a popular “Espada de São Jorge”, sendo a espécie mais conhecida nas casas brasileiras.

Porém, a lista não para por aí, há muitas opções para quem quer incluí-las na decoração, como Giesta, Pata de Elefante, Clúsia, Gravatinha, Lança de São Jorge, Dracena de Madagascar, Árvore Guarda-Chuva, entre outras.

Na hora de escolher, só é necessário verificar questões como tamanho e local correto para colocar a planta de acordo com a quantidade de luminosidade indicada para cada espécie.

 

Leia também: Com paisagismo assinado por Burle Marx, Teatro Prudential é inaugurado no Rio

Leia também: Tamareira-anã é espécie exótica mais utilizada em projetos de paisagismo

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais